15.10.14

sobre a paixão

Disseram-me que paixão é sentir que desfaz
desfaz conceitos
perde a razão
rompe o chão

Disseram-me "você ainda não sabe o que é paixão"
eu penso
eu repenso
eu te penso

A minha paixão deve ser dessas silenciosas
que redemoinha-se no meu interior
treme no meu pensar... intenso pensar
barulha-se nas palavras silenciadas

A minha paixão deve ser dessas sonhadas
que te encontra no sonho
que te abriga no pensamento
que te acolhe e se recolhe
que te escolhe e se esconde

A minha paixão, contida paixão
se tenta fazer em segredo
se tenta ser segredo
se tenta não ser visível
se tenta não ter medo

A minha paixão tenta entender
se extender
se reconhecer em você
ela tenta...apenas ser

A se a paixão for chão para o corpo-coração
(...)

18.9.14

dá oferenda

eu, você
os olhos me oferecem em olhar
você se oferece em sorriso

o silêncio nos oferece cantos
a intuição traz o encanto
o vento, o giro, o movimento

nos oferecemos o encontro
eu me ofereço em pele
você se faz reticências

... me pede oferecimentos
o coração se oferece em amar
você finge não despertar

eu te dou palavras
me doou em versos
... e você resiste em se entregar

a se a entrega não pensasse...
os corpos dançariam

3.9.14

hoje

hoje não escreverei para você, não
por mais que as palavras pulem do centro do meu peito
elas não serão direcionadas para você
as trago para mim, apenas para mim
essa saudade que faz ventania no centro meu peito
hoje não a direcionarei para você
esse vento que me habita
fazendo os sentimentos dançar
não deixarei que eles me orbitem
hoje as palavras não caminharão para te encontrar
não deixarei que elas se percam nesse labirinto
hoje não as prenderei nas imagens que o desejo cria
hoje não desejarei estar perto de você
hoje não quero estar em você
hoje você não está em mim
te tiro do meu hoje
hoje sobretudo hoje, eu não te quero em nada
hoje no todo que me sinto vazia
não deixarei esse fluxo-sentimento me preencher
hoje não te colherei nas minhas escolhas
hoje eu me habito, sozinha
somente, só... mais eu

30.8.14

Elaeu e ele

Elaeu encontra com ele no sonho, passam sonhos e mais sonhos versando sobre o tudo...ao despertar, o que Elaeu queria é que a matéria ar da qual é feito os sonhos virasse terra em ponto de argila para o encontro ser moldado pelas mãos-corpos d'Elaeu e d'Ele...
...a se a escrita saisse por ai dançando...

27.8.14

Delaeu

Dos quandos Elaeu resolve amar, o peito se abre e a vida vira dança
Elaeu silencia diante desse precipício que é o coração
Elaeu caminhante que é, faz do centro do peito sua crisálida 
Elaeu sonha em voar-caminhar, sem demora e encontrar...
Elaeu só quer que a linha do horizonte seja o porto para o coração

15.8.14

a se a

as palavras resolveram pular-me
pulsadas nesse redemoinho coração
quero silenciar-me, elas palpitam-me
precipito-me?

o amor é um precipício
braços abertos, convertidos em asas
nessa casa-corpo, o coração é uma brasa
a se ao invés de escrever-me
eu... você...


deixo o silêncio desse pensamento
viajar-me
o porto-destino sempre é o coração
o meu... o seu...

a se a palavra aqui dita
se converte-se em toque
em mim... em você

a se a alma em nós
despertada
traduzida no silêncio
em... corpos em sons

a se a boca desse conta
de desaguar o desejo
tantos atravessamentos
o tempo...

a se ao invés de escrever
as palavras virassem toque
escorressem nos corpos
dissolvessem os ossos nossos
nos deixando em nós
sós, apenas nós.