23.2.14

eumim

quando Eumim senta para escrever
relembra que esse é um jeito de se ter

20.2.14

arrebatações

Então Elaeu arrebatou-se. Na verdade Elaeu, arrebentou-se.
Há tempos que Elaeu não sentia seu chão assim: aguar-se.
Nesse mar de rebentos que arrebentam Elaeu contra as paredes de sim mesma, Elaeu resolveu não lutar. Sem embarcações, Elaeu há dias sente sua voz embargar, tanta coisa por dizer que as palavras parecem pular. Elas pulam não da boca, mas pelos olhos, escorrendo e desenhando na pele um rio.
Um rio d'Elaeu não é um sorriso, Elaeu está só com em si.
Sem dó ou acordes, Elaeu acordou para as emoções.


https://soundcloud.com/maite-freitas/das-coisas-que-o-tempo-contou

15.2.14

há uma que me habita, é melhor quando triste

há outra que me habita, sendo uma, busca ser feliz

e eu: tento me equilibrar